Nenhum petroleiro a menos na PR e contra o PCR

Na manhã da sexta-feira, 31, o arco da REDUC amanheceu com mais um ato contra o golpe que está sendo dado nos direitos dos trabalhadores.
Desta vez, os petroleiros da refinaria de Duque de Caxias, do TECAM e UTE-GLB se mobilizaram contra o Plano de Cargos e Remuneração, criado unilateralmente pela Petrobrás, sem debate com as entidades representantes dos trabalhadores.
“O PCR é fruto da contrarreforma trabalhista que visa acabar com o Acordo Coletivo de Trabalho. Além de ser inconstitucional, ele é individual e ainda vem com um brinde para comprar o PCAC do petroleiros, e iludi-los com algumas letras a mais”, afirmou o diretor do Sindipetro Caxias e da FUP, Paulo Cardoso, durante o ato na REDUC.
Além disso, os trabalhadores também lutaram contra a discriminação imposta pelos gestores da empresa, que se recusam a pagar a PR para os trabalhadores da Araucária Nitrogenados (Fafen-PR), referente ao exercício de 2017. “A luta é por nenhum petroleiro a menos. Somos todos partes desta grande empresa que é o Sistema Petrobrás”, argumentou Simão Zanardi, coordenador geral da FUP.

 

FUP cobra do presidente da Petrobrás pagamento da PR para FAFEN-Araucária

Em ofício protocolado na quinta-feira (30) na Petrobrás, a FUP cobrou do presidente da empresa, Ivan Monteiro, que resolva o impasse da quitação da Participação nos Resultados (PR) referente ao exercício de 2017. A Federação reafirma que o pagamento para todos os trabalhadores do Sistema, além de estar pactuado em acordo coletivo, é uma questão de justiça.

 

Rate this item
(0 votes)
Sindipetro Caxias

Desenvolvedor Web do Sindicato dos Petroleiros de Duque de Caxias

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.

Sindicato dos Trabalhadores na
Indústria e Destilação de
Petróleo de Duque de Caxias
Inaugurado em 26/03/1962