Na última semana, aconteceu a reunião com a gerência de SMS do TECAM onde foram cobrados diversas demandas que afetam o dia a dia dos trabalhadores.
Dentre eles estava a questão do ar-condicionado central do prédio da malha que já havia sido mencionado em boletins anteriores e que finalmente foi resolvido.
Em contrapartida, ainda não foi realizada a compra dos armários para atender os trabalhadores. De acordo com a gerência o pedido já está feito, porém não deu prazo. Da mesma forma encontra-se o vestiário dos trabalhadores terceirizados conforme NR-24. Ainda em obras e sem prazo estipulado pela gerência. Enquanto isso, os trabalhadores podem utilizar o vestiário temporário que já está ativo. A direção vai fiscalizar e cobrar o andamento para que o temporário não se torne definitivo.
Também está na lista de compras do Terminal bebedouros novos para os trabalhadores. Vamos aguardar.
Sobre a questão do refeitório foram dados dois prazos: 1/03 para refeitório provisório e 1/05 o definitivo. Ambas as datas já estão em nosso calendário de cobrança.
A verificação dos ASO para os motoristas foi realizado. Já o curso de PPEOB não. De acordo com a gerência, existe problemas com a gestão de cursos do RH.
Está agendada para esta semana a limpeza do sistema de água fornecida pela REDUC. O compartilhado se comprometeu a informar melhor quando ocorrer novamente.
A gerência disse não poder fazer nada quanto as dispensas arbitrárias dos motoristas da AGF, mas acham que o contrato irá mudar no futuro. Já sobre o contrato de assistentes técnicos, denunciado pelo Sindicato no último boletim, a empresa disse estar investigando o caso da Falcão Bauer.


É importante que todos os trabalhadores denunciem más condições de trabalho ao seu sindicato. É a entidade que vai brigar por você. Não se exponha, sindicalize-se.

Depois de alguns ofícios enviados a Transpetro e denúncias no boletim semanal do Sindipetro Caxias, no dia 11 de outubro aconteceu a segunda reunião do ano para tratar de questões de RH E SMS. Esta reunião faz parte do calendário bimestral acertado no começo do ano, porém a empresa estava adiando o encontro. A última reunião aconteceu em abril, e somente agora conseguimos avançar.
Na última quinta-feira, a direção do Sindicato levou à gerência pendências como o defeito no ar condicionado do prédio da malha, falta de armários para guardar adequadamente os uniformes (previsto na NR 24), as condições precárias das instalações dos terceirizados (NR 24) e o portão alternativo para saída dos motociclistas. Infelizmente os problemas ainda não foram sanados, mas houve avanço na gestão dos recursos.
Também foram abordadas novas questões relativas ao contrato precário dos motoristas, a falta do agente Benzeno no PPP. Porém ficaram com respostas precárias, pois a gestão não é do terminal e sim do gerente corporativo.
Vale lembrar que a situação dos motoristas é muito grave, pois além de terem seus salários rebaixados e seu VR reduzido a Vale Coxinha, agora em algumas bases nem água conseguem beber devido ao impedimento da entrada na área da Transpetro. Segundo a empresa contratada, eles não fazem jus ao adicional de periculosidade e logo tem que permanecer longe da área industrial. De acordo com o gerente de SMS presente na reunião, este problema será sanado assim que sair o relatório mapeando tecnicamente as áreas classificadas das bases.
Quanto ao ASO sem a presença do Benzeno, o sindicato orienta a observação da sua exposição no ato da consulta médica, carimbada e assinada pelo profissional de saúde. Uma vez que já temos uma ação vencedora na Petrobrás e logo esperamos êxito também na Transpetro.
Entre os pontos levantados de RH destaca-se a possibilidade do turno de 12 horas para operação e a criação do adicional de dutos em substituição ao de gasodutos.
Em resposta, sobre o turno de 12 horas, a empresa está aguardando um parecer do jurídico, visto que há uma demanda em outras bases pelo país.
Quanto à migração do adicional, ficou-se de agendar uma segunda reunião ainda este ano para avançar nas negociações.
Apesar do atraso na agenda de reuniões, todos os pontos da pauta foram apresentados. Agora resta aguardar a próxima, marcada para dezembro, onde serão apresentados os avanços e soluções.

No dia 04/07, a direção do Sindipetro Caxias participou da reunião bimestral de acompanhamento de Acordo Coletivo para discutir questões relacionadas a Saúde, Meio Ambiente e Segurança, na Escola REDUC. Além do Sindicato, estavam presentes representantes do SMS/REDUC e o Gerente Geral Adjunto para deliberarem sobre as demandas existentes na Área Industrial.
Dentre as pendências citadas, a gerencia da Refinaria se comprometeu em solucionar acertar questões demandas pelos trabalhadores:


• Incinerador de amônia parado há vários meses, deixando de cumprir o TAC firmado entre sindicato e Reduc.

Previsão de retorno à operação em 17/08/18.

• Ambulância e profissionais da área de saúde nas Paradas de Manutenção.
• Reforma na área de treinamento de combate a incêndios.
• Respeito aos Cipistas eleitos, liberando-os para as demandas que se fizerem necessárias.
• Implantação dos GTB’s nas empresas contratadas conforme preconiza o acordo da CNPBz.
• Vazamentos de produtos químicos na área da U-2200.
• Monitoramento precário nos geradores da U-1320.
• Acabar com o uso de HIDRAZINA na Refinaria. A única que ainda opera com este produto.
• Acertar em definitivo os problemas do elevador do COQUE.

A direção do Sindipetro Caxias espera que a nova gerência da Refinaria atue com foco na segurança da força de trabalho e que não só essas, mas todas as demandas sejam tratadas, visando a vida do trabalhador.

Sindicato dos Trabalhadores na
Indústria e Destilação de
Petróleo de Duque de Caxias
Inaugurado em 26/03/1962