Na semana de 04 a 08 de fevereiro, houve na REDUC uma auditoria interna como simulado para a auditoria oficial do IBP - Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás, com objetivo de conseguir a que volte a certificação do SPIE - Serviço Próprio de Inspeção de Equipamentos, que deverá ocorrer no segundo semestre deste ano ou no início do próximo.
Pela primeira vez, o Sindipetro Caxias e a CIPA foram convidados a participar, lembrando que para a certificação oficial ambos são convidados a se posicionarem. A REDUC perdeu sua certificação do SPIE há três anos, devido a fraudes no contrato de manutenção dos tetos de tanques, o que, infelizmente ocasionou a morte do companheiro Luiz Augusto Cabral de Moraes.


A direção do Sindipetro Caxias deixou claro para os auditores que não é contra a conquista do SPIE, porém, questionou a real situação da Refinaria e se ela está pronta para ser certificada? Segundo nossa avaliação e, principalmente após caminhar junto com os auditores pela empresa, entendemos que muito ainda deve ser feito pela gerência da Petrobrás para que tal pleito se realize.
Alguns exemplos disso são os acessos aos tanques estão em estado lastimável (acessar tetos de tanques está proibido pelo MTE), o Forno 4 (chaminé) da URE (incinerador de amônia) só está em pé graças às treliças que o ancoram, o jeitinho em transformar Engenheiros Metalúrgicos em PH (via CRQ, já que o CREA não permite), os Técnicos de Manutenção atuando como Técnicos de Inspeção, entre outras pendências.


Estamos cientes que a REDUC melhorou no último semestre, porém, muito há de ser feito para que seja considerada um exemplo de Refinaria no sistema Petrobrás.
Na entrevista com os auditores, na segunda-feira (04/02), o diretor do Sindipetro Caxias, Simão Zanardi, foi taxativo em dizer que a Gerência Geral da REDUC precisa se empenhar ao máximo para acertar os problemas da refinaria, porque o SPIE é muito mais que redução do tempo de manutenção das unidades de processo, mas segurança das instalações industriais e, principalmente, da vida da força de trabalho.

Para inglês ver

Na sexta-feira (08/02), os auditores da Petrobrás fizeram a apresentação de seu trabalho para a gerência, Sindipetro Caxias e CIPA. No final o auditor chefe informou que por eles a Refinaria está apta a conquistar a recertificação do SPIE. Após a apresentação, apenas o GGA usou da palavra, porém, o Sindipetro Caxias entende que a REDUC ainda não fez o dever de casa pra ter acesso à certificação do SPIE, devendo antes acertar muitas das coisas que estão erradas dentro da refinaria.
É importante ressaltar que o interesse da empresa em retornar com a certificação não é para garantir a saúde e qualidade de vida dos trabalhadores, mas para baratear seu valor de venda. Sem o SPIE a empresa fica mais cara, pois é necessária a manutenção dos equipamentos em um espaço de tempo mais curto, o que gera mais gastos para a empresa.

Acontece entre os dia 13 e 17 de agosto a Auditoria Externa no SPIE Transpetro Sudeste I, a última ocorreu no dia 25 de maio, porém foi interna e de caráter preparatório.
Na ocasião, o Diretor do Sindipetro Caxias Paulo Cardoso fez varias observações a respeito e enfatizou o desvio de técnicos de manutenção para técnicos de inspeção promovidos pela empresa, sem alarde e via treinamento a distância (EAD).
Vale ressaltar também que nesta última, o grupo comprador da malha de gasodutos do Sudeste, NTS, não enviou nenhum representante para acompanhamento da auditoria, tamanha é a importância que este grupo da a integridade de seus dutos.
A direção do Sindicato vai continuar acompanhando até o fechamento para conhecer de fato o resultado e seus desdobramentos.

Sindicato dos Trabalhadores na
Indústria e Destilação de
Petróleo de Duque de Caxias
Inaugurado em 26/03/1962