REDUC

REDUC (51)

Depois de fechar o mês de julho com 8 acidentes na refinaria, não diferente, agosto já começou com mais cinco ocorrências.

O primeiro, no dia 01/08, onde dois trabalhadores ficaram pendurados pelo cinto, quando um cabo de aço rompeu enquanto faziam serviço de pintura. Um trabalhador quebrou o braço com fratura exposta e o outro se chocou contra o costado.
No dia 07/08, um incêndio devido ao vazamento de gasolina tomou conta do Parque de Bombas da Área Final, próximo ao TQ-301. A Brigada de Incêndio e o Corpo de Bombeiros contiveram as chamas e, por sorte, não houve feridos.
E no dia 09/08, por volta das 11h da manhã, o gerador que alimentava a U-1630 e a Telemetria do TE/ML pegou fogo, mas foi logo controlado pelos trabalhadores. Este gerador estava substituindo a Sub W, que saiu de operação também devido a um incêndio.
Ainda em 09/08, às 17:30h, um trabalhador terceirizado da empresa TS Engenharia se acidentou na Parada de Manutenção da U-1210, ao fazer um serviço em Espaço Confinado, dentro da T-2. O trabalhador bateu a cabeça na bandeja e cortou o lábio. A vítima foi atendida no Setor de Saúde da Petrobrás e foi orientado a voltar ao trabalho. O Sindicato está cobrando a CAT e um Grupo de Trabalho para analisar o acidente.
No dia 10/08, durante a madrugada, um trabalhador contratado bateu com a van em um hidrante. O motorista não comunicou o acidente, retirou o carro do local e escondeu. A frente do veículo ficou bastante danificada e o motorista/vítima sumiu. Até agora a gerência da REDUC diz não ter identificado e nem localizado a vítima. Não se sabe sequer seu estado de saúde e como foi o acidente.

Já é de conhecimento de toda a força de trabalho que vivemos em um cenário de grande insegurança dentro da refinaria. Isso se agrava à medida que os PIDVistas se desligam da empresa e não são admitidos novos empregados para ocuparem seus postos.

O Sindipetro Caxias enviou ofício em 31/03 solicitando a suspensão da rotina de amostragem de gás no parque do GLP da REDUC, dado o risco grave e iminente de ocorrência de acidente de grandes proporções. Isso porque existem problemas nos amostradores que apresentam grandes vazamentos no ato da amostragem, e o gás atinge o trabalhador e o meio ambiente, podendo ocorrer incêndio e explosão no local, colocando em risco a vida e as instalações.

A terceirização sem limites precariza o trabalho e ameaça o emprego formal. O Projeto de Lei aprovado pela Câmara no último dia 22, pode acarretar no enfraquecimento dos Sindicatos, uma vez que irá reduzir o número de trabalhadores próprios e aumentar os terceirizados. Levando a uma diminuição no número de associados das entidades.

Contra o golpe que está em curso no Brasil que está retirando os direitos dos trabalhadores e minorias com as reformas Previdenciária e Trabalhista, o desmonte da Petrobrás, as terceirizações e o fim do concurso público, os Petroleiros do regime de turno, do HA da REDUC e da Transpetro, participaram no dia 31 de março do ato realizado pelo Sindipetro Caxias no Arco da Refinaria. Também esteve presente o coordenador do MAB – Movimento de Atingidos por Barragens, Leonardo Maggi.

O Sindipetro Caxias vai realizar assembleias entre os dias 03 e 10 de abril em todos os grupos para aprovação da proposta de efetivo na REDUC, conforme NR-20, construída a partir das setoriais com os trabalhadores em regime de turno.

Sindicato dos Trabalhadores na
Indústria e Destilação de
Petróleo de Duque de Caxias
Inaugurado em 26/03/1962